tfg

Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image

Vanessa F. Tavares Pereira

A Poética da Luz e do Tempo em Arquitetura: Museu de Fotografia de Curitiba

Orientador: Prof. Dr. Paulo Marcos Mottos Barnabé

#Arquitetura #Fotografia #Fenomenologia #Luz #Tempo #Museus

Resumo

As diversas mudanças na sociedade ao final do século XIX, impulsionadas entre outros fatores pela Revolução Industrial, divisão do trabalho, surgimento de novas tecnologias construtivas e também da fotografia, alteraram a relação entre homem e os espaços urbano e edificado, assim como o papel do arquiteto, o processo de projeto de arquitetura e as edificações produzidas desde então. Entre o início até meados do século XX, as artes passaram a questionar seus objetivos e finalidades através de movimentos de vanguarda e do deslocamento do ambiente edificado, o Museu, para o urbano. Analogamente, existe processo semelhante em andamento com a arquitetura, a partir do declínio do Movimento Modernista. Dessa forma, as reflexões contemporâneas sobre o fazer arquitetônico buscam a retomada de aspectos suprimidos pelo Modernismo em diferentes ramos do conhecimento, sendo uma das vertentes de discussão a fenomenologia, temática base desta pesquisa. Nesse sentido, o presente trabalho tem como objetivo geral o estudo de elementos comuns à arte, fotografia e arquitetura (como luz, tempo, aberturas e escala), sob o ponto de vista da teoria fenomenológica, visando compreender a percepção sensorial humana e a materialização espacial do conjunto destes elementos, bem como a evolução programática do Museu enquanto equipamento cultural. Assim, realizou-se pesquisa exploratória, permeada pela discussão sobre o papel da arquitetura na construção de espaços culturais, através de revisão teórica, entrevistas, visitas de campo e técnicas, para a proposição de anteprojeto de edifício para o Museu de Fotografia de Curitiba. Tal equipamento foi escolhido pela importância para o patrimônio cultural da cidade em contraposição ao estado crítico em que se encontra. A partir das análises, foram selecionadas três edificações para estudo de correlatos, visando o entendimento sobre a transposição da teoria fenomenológica para o processo de projeto e as edificações construídas. De maneira complementar, analisou-se a inserção urbana, a transição entre o espaço público e edificado e a atuação dos museus contemporâneos como catalisadores da dinâmica urbana. A área Central da cidade foi escolhida para a implantação do novo Museu, devido a existência de projetos de revitalização e direcionados a equipamentos culturais. Aliados ao levantamento da realidade, da legislação de uso do solo, das condicionantes locais e de normas para projetos de museus, tem-se como resultados uma análise volumétrica e sínteses gráfica, do programa e da setorização preliminares. Por fim, como produto das análises realizadas, foram elaboradas diretrizes que devem conduzir as decisões do anteprojeto de edificação para o Museu de Fotografia, objeto de continuidade desta pesquisa.

M_Vanessa Francisca Tavares Pereira_2018.2.pdf

A POÉTICA DA LUZ E DO TEMPO EM ARQUITETURA: MUSEU DE FOTOGRAFIA EM CURITIBA

MONOGRAFIA
ANO DE APRESENTAÇÃO: 2018.2
T_Vanessa Francisca Tavares Pereira_2019.1.pdf

A POÉTICA DA LUZ E DO TEMPO EM ARQUITETURA: MUSEU DE FOTOGRAFIA EM CURITIBA

PROJETO
ANO DE APRESENTAÇÃO: 2019.1




contate a autora

vanetavares@gmail.com